sexta-feira, 28 de maio de 2021

Tratamento laparoscópico da dor ciática e pudenda causada por encarceramentos nervosos intrapélvicos

Revista Nature


Encarceramentos das porções intrapélvicas do plexo lumbosacral são uma importante causa extraspinal de neuralgia ciática e pudenda, que podem ser tratados pela técnica de neuronavigação laparoscópica (LANN). 

A técnica LANN é uma técnica minimamente invasiva que estabeleceu as bases de um campo emergente na Medicina: a Neuropelveologia. Este estudo retrospectivo‐prospectivo analisa os resultados de 63 pacientes tratados com a técnica LANN durante um período de 10 anos em nosso serviço. 

Um ano após a cirurgia, 78,3% dos pacientes relataram redução da dor clinicamente relevante, definida como ≥ redução de 50% no escore de dor; esses resultados foram mantidos em um seguimento médio de 3,2 anos. 

O uso de opioides crônicos pré-operatórios (≥ 4 meses de ≥ 10 mg de equivalentes/dia de morfina) foi um preditor de desfecho cirúrgico ruim — a redução da dor clinicamente relevante foi observada em apenas 30,8% neste grupo de pacientes, em comparação com 91,5% em pacientes que não tomam regularmente opioides no pré-operatório (p < 0,01).

Estes números mostram a importância do diagnóstico precoce, antes que tratamentos paliativos sejam implementados.

Nossos resultados indicam que a técnica LANN é uma abordagem eficaz e reprodutível para aliviar a dor secundária às armadilhas do nervo intrapelvico e que a terapia opioide crônica pré-operatória reduz significativamente a probabilidade de um bom resultado cirúrgico. 

Este estudo fornece informações detalhadas sobre complicação perioperatória e curso pós-operatório, o que é essencial para o consentimento dos pacientes. 

Confira o artigo completo em inglês "Laparoscopic approach to refractory extraspinal sciatica and pudendal pain caused by intrapelvic nerve entrapment". Autores: Nucelio Lemos, Corey Sermer, Gustavo Fernandes, Augusta Morgado Ribeiro, Andrea Rossos, ZiYing Zhao, Manuel J. B. C. Girão e Philip Peng.

Este trabalho foi feito pela Equipe Increasing de Neuropelveologia em parceria com a equipe da Universidade de Toronto (Canadá).