terça-feira, 13 de novembro de 2018

Novembro Azul: Dr. Marcos Tobias Machado explica a importância do exame de próstata

Por ano, de acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o Brasil registra cerca de 68 mil novos casos e 13 mil mortes causadas pelo câncer de próstata. Por outro lado, sabe-se que o tratamento para quem identifica precocemente a doença chega a índice de cura de até 90%. Desinformação, falta de acesso ou até mesmo preconceito leva grande parte da população masculina a não procurar ajuda médica. E é de olho nesse alto índice que o instituto Increasing também aderiu à campanha Novembro Azul, ação que tem como objetivo alertar os homens sobre a necessidade de ser efetuado o exame preventivo.

Conversamos com Dr. Marcos Tobias Machado (CRM-SP: 75.225), especialista em Urologia e membro da Equipe Médica do Increasing, que falou sobre a importância da campanha mensal e também sobre os principais aspectos dessa doença. Confira a seguir a entrevista na íntegra:




- Dr. Tobias, como o senhor enxerga a importância de uma campanha como o Novembro Azul em um país como o Brasil, onde são registrados milhares de casos de câncer de próstata todos os anos?
Dr. Tobias: A ação utiliza a causa do câncer de próstata como motivo para algo muito mais amplo, que é a saúde do homem. Num país em que os homens pouco vão aos consultórios para prevenção de problemas sérios como hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, distúrbios mentais ou até mesmo doenças da próstata, uma campanha com tamanha penetração na mídia é muito importante para leva-los a procurar um médico. Nesse sentido, devemos seguir o exemplo das mulheres, que por questão de hábito se cuidam muito mais, quando o assunto é prevenção e saúde.

- Sabemos que muitos homens, por questões culturais e comportamentais, ainda veem uma consulta ao médico como um sinal de fraqueza. Quando se trata de exame de toque retal isso ocorre ainda mais. O que o senhor diria para esse público ainda relutante? Como é o procedimento?
Dr. Tobias: O procedimento do exame digital da próstata, mais conhecido como toque retal, é realizado com lubrificante com anestésico, o que minimiza o desconforto. Normalmente os homens passam a aceitar melhor a realização do exame quando compreendem a importância de diagnosticar, não somente o câncer de próstata, como também doenças do ânus, tais como hemorroidas e câncer de reto. Além disso é um procedimento indolor.

- Qual é a idade ideal para realizar o primeiro exame de próstata?
Dr. Tobias: Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, em pacientes com antecedente de familiares com câncer de próstata e os afrodescendentes – etnia com maior incidência de câncer de próstata –, o início do acompanhamento deve ser aos 45 anos, sendo uma vez a cada ano. Para os demais, recomenda-se iniciar aos 50 anos.

- Por que o histórico familiar é tão importante quando falamos sobre câncer de próstata?
Dr. Tobias: Homens com antecedente de um parente de primeiro grau apresentam risco até cinco vezes maior de desenvolver a doença, enquanto indivíduos com mais de dois parentes de primeiro grau as chances são cerca de 30 vezes mais do que homens sem nenhum antecedente na família. Por isso é realmente importante o diagnóstico precoce.

- Quais são os exames necessários para se obter um diagnóstico?
Dr. Tobias: Os exames iniciais a serem realizados são a história clínica, o exame de toque retal e o PSA, que é um exame de sangue. A alteração desses exames pode indicar a realização da ressonância magnética. Se houver alguma suspeita, realiza-se a biópsia da próstata, exame que fecha o diagnóstico de câncer.

- Como é verificada a agressividade da doença?
Dr. Tobias: O principal tipo histológico do câncer de próstata é o adenocarcinoma, que pode ser classificado pela escala de Gleason, utilizada na área médica para avaliar a gravidade e o prognóstico do paciente.

- E como se dá o tratamento de câncer de próstata? Quais são os métodos aplicados?
Dr. Tobias: O tratamento depende de características da doença, do estado de saúde do paciente e das condições de acesso aos diversos tratamentos. Os principais são a prostatectomia radical (cirurgia), a radioterapia, as fontes de ablação por energia e as medicações, ou seja, a hormonioterapia e a quimioterapia.

- O que faz as células tumorais crescerem?
Dr. Tobias: Dentre os fatores de risco mutáveis estão a dieta hipercalórica, rica em carne ou gordura animal, e também aquela que é pobre em vegetais ou derivados da soja. Uma dieta rica em vegetais, tomate, soja, óleos vegetais pode proteger o organismo da doença. Outro fator que se tem discutido é a atividade física regular, vista como algo positivo nesse sentido. Em resumo, bons hábitos que protegem o coração podem também proteger contra as doenças da próstata.

- Existem sintomas?
Dr. Tobias: Normalmente o paciente com câncer de próstata não apresenta sintomas, mas quando há os principais são decorrentes da obstrução da uretra, como jato urinário fraco, dor ao urinar e também aumento na frequência urinária. A presença de dor óssea e sintomas em outros órgãos indicam que pode haver doença metastática, ou seja, disseminadas para órgãos a distância.

- Quais as novidades no tratamento dessa doença?
Dr. Tobias: Curiosos progressos foram observados no tratamento nos últimos tempos. Com relação à cirurgia, a técnica robótica permite uma melhor recuperação pós-operatória, além de uma significativa melhoria das funções sexual e urinária. O progresso da radioterapia também apresentou resultados positivos, reduzindo consideravelmente o índice de complicações em outros órgãos, tais como a bexiga e o reto. Já no cenário dos medicamentos, temos hoje novas drogas orais, além de
quimioterapia com boa eficiência, prolongando bastante a sobrevivência dos pacientes.

- O que o Increasing pode oferecer a quem busca uma orientação sobre esse tema?
Dr. Tobias: O Increasing se destaca por apresentar um diferencial multiprofissional de alto nível, com profissionais competentes tanto para o diagnóstico como para o tratamento e reabilitação das funções após o tratamento. O cuidado que oferecemos permite ao paciente uma recuperação mais rápida e realmente eficiente.

- Apesar de o câncer de próstata ser o foco, sabemos que a saúde do homem em geral também é contemplada no Novembro Azul. Que mensagem o senhor deixaria para o público masculino que ainda precisa se conscientizar?
Dr. Tobias: É necessário enfatizar a importância do homem ir ao consultório médico rotineiramente para detecção das mais diversas doenças que podem ocorrer com a idade. Isso é muito necessário, e o paciente ganha em saúde física e mental. Podemos oferecer todo o cuidado que os homens precisam para uma vida mais saudável e feliz.