terça-feira, 21 de julho de 2020

SISTEMA URINÁRIO e CATETERISMO VESICAL INTERMITENTE LIMPO (CIL)


Sistema urinário 

O sistema urinário é um conjunto de órgãos composto por dois rins, dois ureteres, uma bexiga e uma uretra. Os rins estão localizados na região lombar (o meio das costas ou pouco abaixo da linha das costelas) e têm a função de filtrar o sangue e produzir urina (de 1 a 2 L ao dia), possibilitando assim o equilíbrio dos níveis de água e eletrólitos (sódio, potássio etc.), bem como a eliminação das toxinas provenientes do funcionamento do organismo.

A urina produzida nos rins é transportada para a bexiga por meio dos ureteres, que são estruturas musculares em forma de tubo. Conforme é produzida, a urina escorre lentamente pelos ureteres e é acumulada na bexiga até o momento do esvaziamento.

A bexiga tem forma de bolsa e está localizada na pelve, popularmente conhecida como “baixo ventre” ou “pé da barriga”. Sua função é armazenar a urina por algumas horas, até o momento mais adequado para a eliminação. Suas paredes são compostas por uma camada muscular capaz de esticar-se — comportando um volume de aproximadamente 500ml — e contrair-se para que ocorra a eliminação completa da urina. O controle do esvaziamento da bexiga é realizado pela medula óssea e pelo cérebro, por meio de comandos conscientes e inconscientes.

A via de saída da urina é a uretra, uma estrutura em forma de tubo que liga a bexiga à parte externa do organismo. Nos homens, passa por dentro do pênis, abrindo-se em um orifício em sua extremidade e, nas mulheres, passa sobre a vagina, abrindo-se em um orifício entre os pequenos lábios (Figura 1). Este tubo é composto por músculos que se contraem e funcionam como uma torneira, impedindo que a urina escape involuntariamente. A capacidade de segurar a urina é chamada de continência.

A micção é o esvaziamento da bexiga, o ato de urinar. Ocorre quando o cérebro e a medula enviam comandos para que a bexiga se contraia — empurrando a urina para fora — e a uretra relaxe, abrindo-se para permitir a saída da urina.

Figura 1:  Uretra feminina e masculina — nos homens, a uretra passa por dentro do pênis, abrindo-se em um orifício em sua extremidade e, nas mulheres, passa sobre a vagina, abrindo-se em um orifício entre os pequenos lábios.

Diferenças   entre   o   trato urinário masculino  e  feminino

A uretra masculina, por correr por dentro do pênis, é maior que a uretra feminina. Enquanto a uretra masculina tem, em média, 20 cm, a feminina tem apenas 4-5 cm.

A uretra, no homem, apresenta outra função além da eliminação da urina, servindo também de passagem ao sêmen durante a ejaculação. Na mulher, por sua vez, a uretra é considerada um órgão exclusivo do sistema urinário.

Cateterismo Intermitente Limpo (CIL)

O bom funcionamento do trato urinário depende da ação harmoniosa entre os mecanismos de enchimento e esvaziamento da bexiga. Estes mecanismos podem sofrer alterações decorrentes de inúmeros fatores, como:

  • Envelhecimento;
  • Obstrução uretral (cirurgias ou traumas);
  • Lesão medular;
  • Esclerose múltipla, Doença de Parkinson ou outras doenças neurológicas;
  • Acidente vascular encefálico (“derrame”);
  • Tumores;
  • Diabetes;
Estas doenças podem prejudicar o esvaziamento da bexiga. A incapacidade da bexiga de se contrair e esvaziar pode fazer com que sobrem restos de urina, causando infecções na bexiga (cistite) ou nos rins (pielonefrite). Em alguns casos, a urina que fica acumulada também pode refluir da bexiga para os rins, podendo causar insuficiência renal (perda do funcionamento dos rins).

Em outros casos, a bexiga pode não ser capaz de acumular a urina adequadamente. Contrações de seu músculo (detrusor) em momentos inadequados podem causar perdas de urina involuntárias e constrangedoras.

O Cateterismo Vesical Intermitente Limpo (CIL) é um método que surgiu para mudar a história de muitas pessoas com problemas de armazenamento de urina e esvaziamento da bexiga. O CIL é uma técnica para esvaziar a bexiga de forma eficiente, evitando que a urina fique retida na bexiga e controlando as perdas indesejadas.

Benefícios do Cateterismo Intermitente Limpo (CIL)

  • É uma técnica simples, efetiva e segura;
  • Auxilia no controle de perdas urinárias;
  • Melhora a qualidade de vida;
  • Aumenta a independência da pessoa com problemas de esvaziamento da bexiga;
  • Reduz o risco de infecções urinárias e das outras complicações associadas ao mau funcionamento do trato urinário;
  • Pode ser realizado pelo próprio paciente e/ou cuidadores.

Cuidados necessários

O cateterismo (ou sondagem) de alívio tem o objetivo de esvaziar a bexiga de forma programada, evitando seu enchimento exagerado e perdas inoportunas de urina. Para ser eficiente, o CIL  deve ser feito de forma regular, com intervalo de algumas horas, calculado e orientado pela equipe multidisciplinar.

Higiene, material adequado e técnica correta são fundamentais para que o procedimento seja efetivo e seguro.

Materiais  necessários  para  realização do  CIL

1. Sonda de calibre indicado pelo seu médico ou enfermeiro;

2. Lidocaína gel ou gel de uso íntimo (se o cateter não for hidrofílico ou pré-lubrificado);

3. Sabonete (se for lavar as mãos longe de uma pia, o ideal é ter um frasco de sabonete líquido) ou álcool gel;

4. Toalha ou papel toalha;

5. Gaze ou lenço umedecido sem álcool;

6. Recipiente para depositar a urina (quando não for realizar o cateterismo no vaso sanitário);

7. Garrafa com água (necessária somente se não conseguir realizar o cateterismo próximo a uma pia);

8. Espelho (para mulheres que precisem visualizar o orifício local de introdução do cateter).

Passo a passo

Passo 1:

Organize o local onde será realizado o cateterismo colocando todo o material necessário ao alcance de suas mãos.

Passo 2:

Lave corretamente as mãos: lave as palmas, os espaços entre os dedos, os polegares, os punhos e as unhas. Elimine qualquer sujeira aparente das mãos.

Passo 3:

Escolha uma posição confortável.

Homens:
Deitado, recostado no leito, sentado ou em pé.

Mulheres:
1 - Recostada no leito, flexione as pernas e acomode o espelho para visualizar a entrada da uretra.


2 - Sentada ou em pé: apoie um pé sobre um degrau (cama, escada, vaso sanitário) e acomode o espelho para visualizar a entrada da uretra.

3 - Deitada: a posição mais confortável quando o procedimento é realizado por outra pessoa.

Passo 4:

Mulheres:
1 - Abra a embalagem do cateter;

2 - Aplique uma quantidade pequena de lidocaína gel sobre o cateter;

3 - Posicione o cateter na entrada da uretra e introduza o mesmo até o momento em que a urina comece a sair pela sonda;

4 - Direcione a sonda para que a urina caia em um frasco coletor ou no vaso sanitário.

Homens:
1 - Abra a embalagem do cateter;

2 - Lubrifique o cateter com a lidocaína gel;

3 - Segure o pênis na posição reta;

4 - Introduza o cateter pela entrada da uretra até a urina começar a sair.

Passo 5:

Quando a urina parar de sair, vá puxando lentamente o cateter, parando sempre que a urina voltar a sair; repita esta operação quantas vezes forem necessárias para que saia toda a urina, até retirá-lo totalmente.

Passo 6:

Ao finalizar o procedimento, meça o volume de urina drenado e anote no diário miccional. Esse controle permitirá que você programe o número de sondagens necessárias por dia.

Passo 7:

Utilize sempre um cateter novo para cada sondagem.


Perguntas Frequentes


Quantas vezes por dia devo realizar o CIL?
O CIL deve ser realizado de 4 a 6 vezes ao dia, dependendo do volume de urina produzido diariamente.


Por quanto tempo preciso fazer o CIL?
O CIL é necessário enquanto a bexiga não for capaz de esvaziar de forma espontânea e satisfatória (sem que sobre resíduo de urina significativo após urinar espontaneamente).

Em alguns casos o CIL pode ser necessário por tempo limitado, por alguma condição que afete a função da bexiga temporariamente. Pós-operatórios de cirurgias pélvicas extensas são exemplos de situações que requerem as sondagens programadas até que o indivíduo recupere a micção espontânea e sem sobra de resíduos urinários.

Há outras situações em que as alterações do funcionamento da bexiga são irreversíveis, como as lesões medulares e algumas doenças neurológicas. Nestes casos o CIL pode ser necessário por toda a vida.


Como devo fazer a higiene da minha uretra antes da passagem do cateter?
Esta pergunta ainda não foi respondida adequadamente pelos estudos disponíveis. Sabe-se que a utilização de antisséptico e luvas estéreis aumenta o custo, a complexidade e a quantidade de material necessário para a realização do cateterismo sem, no entanto, diminuir o risco de infecções urinárias. Em mulheres, o uso de antissépticos pode desequilibrar a flora vaginal e predispor à candidíase e outros corrimentos.


O que devo observar na minha urina?
Cheiro – Mudanças de odor na urina devem chamar sua atenção. Isso pode significar que sua urina está mais concentrada.

Coloração – A cor esperada é o amarelo claro, se ela estiver com uma coloração mais escura (amarronzada, alaranjada), também deve-se suspeitar de baixa hidratação ou infecção. 

Em ambos os casos acima, procure aumentar da quantidade de água que bebe ao longo do dia para cerca de 2L. Caso o problema não melhore, entre em contato com seu médico.

Aspecto – A urina deve ser límpida e transparente. O aspecto turvo, com presença de sangue, muco, ou partículas flutuantes na urina, também podem ser indicativos de infecção urinária ou desidratação.

Volume – A quantidade de urina retirada na sondagem deve ser sempre medida. Caso haja muita diferença entre a quantidade de líquido ingerida e a quantidade de urina drenada, informe seu médico ou algum membro de sua equipe.

É importante que você se habitue a observar as características de sua urina quando faz o cateterismo. Esses apontamentos são muito importantes para o acompanhamento de sua equipe de saúde e para as consultas com seu médico. Procure sempre manter o controle das quantidades de líquido ingerido e das quantidades de urina drenadas em cada sondagem. Isso facilita o controle de alterações encontradas na urina que podem estar relacionadas à concentração da urina e aos seus níveis de hidratação. 

Caso tenha dúvidas, suspeita de mal-estar, dores ou febre, sempre procure um serviço médico.

Dicas

Prevenção de infecções:

Realize o cateterismo vesical na frequência orientada pela equipe;
Beba a quantidade suficiente de líquidos;
Realize a higienização das mãos antes e após cada sondagem;
Realize a técnica do cateterismo corretamente.

Prevenção de lesões na uretra:

Cateter de PVC (convencional) — lubrifique bem o cateter com gel de lidocaína antes de introduzi-lo na uretra;
Cateter hidrofílico — possui um revestimento lubrificado que facilita a sua passagem pela uretra; não há necessidade de lubrificação adicional;
Nunca force a passagem do cateter caso encontre algum tipo de dificuldade. 

Caso existam dúvidas ou dificuldades na realização do cateterismo, sempre busque orientações com seu médico (a) ou enfermeiro (a).